Lagartas de lepidópteros - Predação e defesa

Algumas referências bibliográficas, científicas ou não

Segundo o Dicionário Houaiss, o termo lagarta corresponde à “primeira fase dos insetos lepidópteros até a metamorfose em crisálida”. A wikipedida fornece algumas definições e explanações importantes, inclusive sobre os diversos mecanismos de defesa destes insetos, neste estágio de vida.

Em sua tese de doutorado, Neuza Aparecida Pereira da Silva avalia a Diversidade e variação na abundância de recursos e biologia de imaturos de Eumaeini (Lycaenidae, Theclinae) em plantas do Cerrado. No Capítulo II ela aponta que essas lagartas são solitárias, com o corpo sem cerdas longas ou pontiagudas, se alimentando de “botões, flores e eventualmente de folhas e frutos”, tendendo a se camuflarem na planta hospedeira. Algumas espécies apresentam comportamento de troca (simbiose) com formigas, consistindo basicamente no fornecimento, pelas lagartas, de “recompensas calóricas” em troca de proteção. Entre outras estratégias de defesa apresentadas por certas espécies nesta tribo, está a de saltar pendurando-se em um fio de seda. Um tipo de "bungee jumping" animal.

Outra pesquisadora egressa da UnB – Universidade de Brasília – é Cintia Lepesqueur, co-autora juntamente com Laura Braga, Ivone Diniz, Neuza Silva e Helena Morais, do livro Lagartas do Cerrado, um guia de campo obrigatório para interessados no assunto. O guia apresenta características, comportamentos, dietas, plantas hospedeiras, abundância relativa e distribuição temporal, além de fotos das fases larvais e adulta de 26 famílias de lepidópteros.

Entre as muitas táticas de defesa das lagartas, vale ressaltar, como curiosidade, a dos bichos-do-cesto (Psychidae) que se equivalem, de certo modo, a caranguejos-ermitões terrestes, mas que constroem o seu próprio abrigo com seda e fragmentos da planta onde se hospedam. Também merece destaque, por suas propiedades urticantes, as lagartas-cachorrinho (Megalopygidae), entre outras famílias, conforme consta do Manual de Tratamento de Acidentes por Animais Peçonhentos da FUNASA – Fundação Nacional de Saúde/MS.

Identificando lagartas, pupas e ovos

Uma boa estratégia para se identificar lagartas corretamente é acessar a página de informações sobre taxa do iNat, especialmente se se sabe a qual grupo (superfamília, família, tribo ou gênero) o organismo pertence. Funciona para qualquer nível taxonômico mas taxas anteriores à “Família” podem retornar um volume de observações excessivo para uma boa comparação visual. Clique no símbolo “>” na barra inferior esquerda da imagem abaixo para ver outros slides.

Finalmente, o livro Mariposas Polinizadoras do Cerrado, de José Amabílio Camargo, publicado pelo EMBRAPA Cerrados, é fonte de informações preciosas sobre a família Sphingidae (adultos). Não consegui localizar pontos de venda mas pode-se baixá-lo em arquivo pdf.

Publicado por douglas-u-oliveira douglas-u-oliveira, 04 de abril de 2021

Comentarios

No hay comentarios todavía.

Agregar un comentario

Acceder o Crear una cuenta para agregar comentarios.